Música.

Me toca de um jeito simples e viciante. Pode dizer tudo, te fazer sentir compreendido ao se identificar tanto. Pode mudar bruscamente seu humor. Pode fazer sorrir trazendo lembranças, como também pode fazer chorar. Pode trazer reflexão sobre a vida, as oportunidades, as perdas, mudar sua opinião em simples versos. A combinação entre letra e ritmo é mágica. Ouvir cada batida... Cada uma delas marcando um momento. Viver sem é impossível. Companheira de todas as horas, meu primeiro amor que me motiva e me envolve. Meio de expressão perfeito, melhor dizendo... foda. Não se ouve apenas, se sente. Meu vício.

A vida é um jogo de azar.

É o que eu acho. A vida não passa de um jogo onde se ganha, mas também se perde. E muito. Quando achamos que estamos por cima, nos encontramos caídos. É como uma máquina caça-níquel que te ilude, te faz achar que está com sorte, cede um pouco para depois arrancar tudo. O que nos resta é jogar, ir contra as derrotas, sobreviver. E tudo isso sozinhos, porque não importa quantas pessoas estarão por perto, só você pode jogar. Talvez a felicidade não passe de um prêmio de consolação com prazo de validade. Talvez. Mas não há meios de desistir do jogo. Então continuemos assim, nesses ganhos e perdas desproporcionais apelidados de vida, tentando não desanimar de vez.



mas se você achar que eu tô derrotado, saiba que ainda estão rolando os dados... porque o tempo, o tempo não para. ♪

Meu sonho de consumo.

Não é a definição correta, mas é algo parecido. Meu sonho de consumo é diferente, não é algo material. O meu sonho de consumo não se consome, mas nasce, cresce dentro da gente. Meu sonho é consumir todo o amor que eu possa ter, tudo de uma só vez, com a condição de ser inesgotável. Meu sonho é consumir mais perdão, para não manter afastado quem mais amo. Meu sonho é consumir muita compaixão, para envolver todos ao meu redor com o mesmo sentimento. Meu sonho é me fartar de toda serenidade existente, para que não haja espaço para a raiva, o ódio ou o rancor. Meu sonho é consumir um pouco mais de compreensão, para poder enxergar os outros como irmãos, não rivais. Meu sonho de consumo eu posso criar, independente de dinheiro algum. Eu só dependo de mim para alcançá-lo, mas ainda há um obstáculo. Eu.

Meu momento (...)

Morrer lentamente. Sentir acabar-se aos poucos. Ver o mundo ao redor desmoronar. Perceber o vazio dentro de si apoderando-se continuamente, sem parar por nenhum segundo que seja. Lamentar a dor crescente do lado esquerdo sem ter a capacidade de reagir. Almejar o fim do sofrimento através de um fim decisivo. Querer se entregar para fugir dos sentimentos inversos aos que se esperava sentir. Desistir de um recomeço. Tortura interna é algo inexplicavelmente doloroso. A saída? A primeira atitude que resolver dar as caras nos pensamentos impensados. Irônico e contraditório.