Erros.

Minha nossa, quantos erros cometidos. Mais do que posso contar, mais do que posso lembrar e talvez até mais que acertos. Aqueles que nem me atentei e aqueles que escolhi cometer. E os arrependimentos não tardam; me sinto estúpida por não perceber antes ou então muito insensata por querer seguir o caminho fadado ao erro. E a pior parte? Arrependo-me, porém continuo. Amo, tenho o dom em insistir nessas falhas. Mesmo que eu perceba a tempo, não vou parar. É como uma alergia ao seguro, às certezas... Como se eu quisesse chegar ao fundo para depois sentir o que há de bom em se levantar. Atraente, incerto e estúpido, palavras que definem bem o que sempre procuro inconscientemente. As pessoas tem uma cautela natural para evitar tais coisas, e eu só queria que a minha não estivesse danificada.

3 comentários:

Claudio Chamun disse...

Errar faz parte do ser humano. É um constante aprendizado. Persistir no erro é que não podemos.
Só erra quem faz. Que não faz também não acerta.
Só não podemos errar naquilo que já sabemos.
É melhor se arrepender do feito do que se arrepender do que não foi feito.

www.cchamun.blogspot.com.br
Histórias, estórias e outras polêmicas

d. bohn disse...

Depende do ponto de vista - eu prefiro não correr riscos-

Feliz Natal

E se puder visitar e comentar por aqui - agradeço

http://maiseducacaocleonicebragafonseca.blogspot.com.br/

http://euachoqueusimplesmentenaosei.blogspot.com.br/

luizskate disse...

http://en4kdos.blogspot.com.br/
blog de carros atualizadissimo quentinho.me segue
ja to te seguindo

Postar um comentário