Superficialidades.

Hoje acordei tocada. Tocada pela insatisfação em não conhecer as pessoas mais a fundo. Penso em quantas tristezas e alegrias conheceria se dedicasse mais tempo a cada pessoa que se aproxima de mim. Conhecemos vários seres humanos, mas sua essência raramente desabrocha para nossos olhos. Sei seu nome, sua idade, gosto musical e profissão, mas não sei o ponto de partida para seus pensamentos e opiniões. Costumamos aceitar a felicidade das pessoas, mas quando desponta um raio de dor, nos assustamos. Pensamos que temos as piores dores e os outros ajudam a esquece-las. Mas quando o outro mostra sua fraqueza, nossa ilusão desmorona e ficamos perdidos. Tentamos consolar de um modo meio desconcertado e, sem sabermos como lidar com  essa dor, - aliás, não sabemos nem como lidar com as nossas - nos afastamos. E lá se vai a oportunidade de conhecer a real essência daquele ser, o todo, o que assusta e o que encanta. Que graça tem só conhecer os sorrisos? As feridas, as cicatrizes, as lágrimas também estão lá, queiramos ou não. Além disso, algo mais interfere nas relações com as pessoas. Me pego formando conceitos baseados em visões alheias e não me dou a oportunidade de conhecer o real. Cansamos de receber informações sobre até então desconhecidos através de bocas e mais bocas. Quem me garante veracidade? Que eu tenha a oportunidade de conhecer a fundo quem passa por mim, para conhecer a verdade e não o que dizem ela ser. O mundo está apegado ao superficial,  à falsa demonstração de satisfação com a vida, à beleza superficial (bronzeamento artificial, clareamento dental, lipoaspiração, tintura, silicone, plástica), ao desinteresse em conhecer pessoas por causa do individualismo gritante, ao interesse por especulações. O que quero dizer é para que cuidem melhor da vida dos outros, no sentido de cuidar mesmo, não de saber. Permita-se conhecer gente nova e guardar essa experiência para você, sem se influenciar ou influenciar pelas opiniões individuais. Aquela velha história de "bater o santo" existe e cada um tem seu santo diferente. Permita-se evoluir com o que te ensinam e ajude a evoluir aquele que te conhece. Se pararmos para refletir, somos um pouco de cada pessoa que nos entregamos afetivamente. As conexões humanas podem ser mais fortes do que se imagina, a questão é dar a oportunidade. Se esconder ou desprezar o diferente não faz mais sentido, o que ajuda é se abrir a novas experiências e fazer valer a pena, sejam elas terminadas em algo bom ou ruim, duradouras ou não.

Carta à corrupção.

Cara e desprezível Corrupção,

Vossa Excelência está bem? Porque eu não estou. Ando um tanto quanto incomodada com vossos atos. É possível dormir gerando tanta precariedade, desonestidade, cobiça, desigualdade e injustiça? Me pergunto se a vossa consciência não pesa quando se alia aqueles ladrões engravatados que se elegem com promessas imensuráveis e agindo com grande descaso e falta de palavra após seu objetivo ser conquistado. Não é certo que vossos colegas aumentem o próprio padrão de vida a custo do suor daqueles que são por muitas vezes esquecidos pela lei, por muitas vezes explorados. É absurdo que o dinheiro predestinado para a saúde pública, seja revertido à compra de um jato ou algum carro lançamento na Europa, deixando ocorrer a morte de um (um?) inocente por falta de aparelhos, medicamentos ou simplesmente tempo. E nossas crianças? Deveriam ganhar destaque por serem o futuro! Mas é mais atrativo superfaturar construindo estádios, que logo serão inúteis, por um valor astronômico. Quantos tetos, quanta alimentação não poderia sair daí? O país é representado por egoístas... É nauseante a cara de pau dos poderosos, porém miseráveis de espírito. E mais nauseante ainda são as mão atadas de quem os colocou no poder. E a culpa é de quem? Senhora Corrupção, independente de quem esteja lá, você sempre está ao lado, sempre pronta para agir na primeira oportunidade. O orgulho por ser tão irresistível deve ser enorme. O poder de controlar tantos. Meu único desejo político é que você morra! Não quero presenciar sonhos de gente honesta desmoronados por um ato que parece inofensivo, mas que afeta todo um povo. Acabe de uma vez com isso.

Atenciosamente,
Uma Brasileira