Riscos.

Sempre ouço que coisas ruins acontecem o tempo todo, por isso não custa evitar. Mas será que não custa mesmo? As pessoas vivem com medo, cheias de cautela, carentes de certezas. Zelam tanto a vida e, desse modo, acabam fazendo a própria vida perder o sentido. Com certeza estão esperando o oposto, mas é isso o que geralmente conseguem. Ninguém sabe o dia de amanhã, ninguém tem certeza de nada que está por vir. Não querem por em risco a certeza, a qual só existe em nosso cronograma imaginário. Um momento pode mudar o rumo de tudo... Meio assustador, porém pode mudar para melhor ou pior, portanto arriscar é sensato, sim! Alguns podem se indignar agora, pois compararei a vida a um brinquedo, mas vamos lá. Você ganha um brinquedo e gosta tanto dele que o preserva, o guarda, não usa mesmo que ele tenha sido feito para brincar; o tempo passou, você cresceu e foi-se a época em que ele lhe servia. Ou então você o aproveita enquanto tem. Pode ser que ele quebre, mas você aproveitou enquanto podia, enquanto devia, não ficou para enfeite. Brincar com a vida antes que você cresça e perca suas chances, é isso. Evitar riscos custa vários momentos da vida e a vida é composta por momentos. A vida é uma só.


6 comentários:

Claudio Chamun disse...

Mayara:
Concordo! Muitas vezes deixamos de fazer coisas que nos dariam ótimos retornos por medo de arriscar.
É aquela velha história de não tirar o plástico do sofá para não estragar. O sofá fica velho, se troca, e não aproveitamos o verdadeiro conforto que ele poderia dar por cauda do medo de estragar.

www.cchamun.blogspot.com.br
Histórias, estórias e outras polêmicas.

mayara alcântara disse...

Outra boa comparação!

Criança Lúdica disse...

Gostaria que mais pessoas tivessem tal consciência. Teríamos surtos criativos, provavelmente, quais implicariam em grandes reformas sociais dentro do sistema atual, esse sistema do "politicamente correto" e da falsa liberdade que alimentam por aí.

Seu texto é um belo convite.

Mariana disse...

Eu acho que a gente é lançado no mundo pra se arriscar. Confesso, sou uma pessoa medrosa, com medo de me machucar, um pouco de medo até de amar demais. Mas logo isso passa, porque eu sei que rir ou chorar são coisas decorrentes de ser humano, de ser pessoa. A gente só vive pra se emocionar mesmo, não tem jeito. Tem que viver.

Vanessa célia disse...

lindo seu blog.. parabens sucesso!! participando
segue de volta? http://mundodavanessamakeup.blogspot.com.br/

Bia Muniz disse...

Temos que passar por algumas coisas na vida, elas constroem que vamos ser....ha tempos que temos amis medos ha tempos que arriscamos mais...
Passa no meu blog pra conhecer, se gostar siga que eu sigo tb!!!
www.makeolatras.blogspot.com.br
Bjsss =]

Postar um comentário